Mayra Aguiar, bronze dourado

Força, técnica, garra e humildade. Qualidades de campeões e campeãs. Quanto vale uma medalha em qualquer competição? Quanto vale uma medalha olímpica? Quanto valem três medalhas olímpicas em três edições diferentes? E se essas medalhas forem conquistadas por uma só pessoa? E se essa pessoa é uma mulher?
Que alegria assistir à gaúcha Mayra Aguiar dar espetáculo nos tatames e ser o grande destaque do judô brasileiro nos Jogos Olímpicos do Japão! Ela ganhou bronze depois de imobilizar, de forma fantástica, a adversária coreana na sua participação individual nos Jogos e se emocionou muito depois da luta pela medalha em Tóquio. O choro do final da luta teve gosto de superação. Mayra é a primeira atleta brasileira a conquistar três medalhas em três edições de olimpíadas. Três bronzes, três pódios olímpicos.
E, na última hora, foi chamada para substituir a atleta Maria Suelen e disputar a inédita competição por equipes uma categoria acima, com atletas mais pesadas. Mayra aceitou o desafio com o orgulho de sempre de servir o Brasil — tem sangue de marinheira — ganhou quatro quilos em dois dias, e venceu sua luta contra a holandesa. Não foi suficiente para o Brasil avançar para a disputa do ouro. Mas ela continuou concentrada, trocou o branco pelo azul e aguardou a hora do outro desafio do dia.
O Brasil então foi para a repescagem contra Israel. Mais uma luta para Mayra. Estava com duas punições, em situação muito desfavorável, mas tirou da cartola, da alma, um golpe decisivo e pôde gritar um “Vamos, Brasil!” para mostrar que o time eu representava o País ainda estava na briga.
Infelizmente, não deu para o Brasil. A modalidade sai mesmo de Tóquio só com dois bronzes, o de Mayra e o de Daniel “San”. Ao final, Mayra, valorizou o esforço de toda o time e mesmo tendo vencido suas duas lutas na competição por equipe, mostrou-se parte de um todo, de um time Brasil.
Mayra Aguiar fez história, mas não abandonou o barco. Ela tem três bronzes olímpicos, alegrou-se com a vitória e se solidarizou com todo o time na derrota. Que orgulho dessa gaúcha guerreira e humilde! Obrigado, Mayra! Que o brilho de seu bronzeado triplo olímpico inspire meninos e meninas, adolescentes e jovens brasileiros e que seu nome fique marcado e seja respeitado para sempre.

Foto: Sergio Perez/Reuters

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.