Axé , Axé Paulinho

damos voltas e voltas e eis a final do futebol brasileiro nos momentos derradeiros duma Olimpíada , o bom e velho desporto bretão e nós que cultivamos tanto mudança e diversidade nos deparamos num sábado dia de ir a feira, praia e/ ou boteco com um Brasil contra Espanha está certo que oito horas da matina horário tropical brazuca e tirando o vovô Daniel Alves conheço poucos dos escalados tirando um que ganhou minha admiração desde sempre pela afirmação dessa brasilidade raiz tanto castigada por preconceito nesse país que desconheço o mesmo de Tom & Vinícius das tardes em Itapoã quando crescia mesmo sob ditadura era a terra da feijoada de sábado porque hoje é sábado : Paulinho que celebra gols com todo simbolismo de Oxóssi aos céus do Japão …. se existe sintoma do mal estar em nossa civilização é o desrespeito para com afro-descendência  cultural e ancestralidade mítica que tanto contribuiu com nosso comportamento e artes…. orixá que nos defende da miséria e fome quanto representa nessas sombras fascistóides que tanto desprezam nosso telurismo atávico: é preciso um brado rotundo de Axé ! Paulinho nos representa porque fazia tempo não via um craque tão necessário …. como diria a Revista Seleções ele já figura entre meus tipos inesquecíveis surgidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio…. 

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.