Síndrome de Abstinência ou do Gay Cult

alguma atmosfera de despedida,  antecipação de síndrome de abstinência , o público diz que já deu de tanta interrupção da telenovela ( coisa de velho ? ) , dos bastidores da CPI, do reality show gastronômico ( comida engoliu a literatura em relevância ) , os hábitos extemporâneos do maridão acordando na madrugada para assistir vôlei feminino, vicissitudes de quatro em quatro anos durante quinze dias que duram uma eternidade mas fazem falta no oco da programação, no tédio dum domingo insone, no hiato dum abraço ; lembrar quem assistiu tal prova de natação contigo em Los Angeles, o gato que amava vôlei  de praia no momento em que o vôlei de praia virou carne de vaca e os gatos que começaram rarear na sua vida acadêmica solitária entre um banca e um TCC interminável e você liga a TV ( coisa de vellho ?) e morre de tesão pelo grandão do vôlei de praia brasileiro lembrando do seu gato agora no mercado financeiro que te divertia tanto quanto o ´´Monty Python´´…..nessas horas você até ouve hit do Michael Bolton e abre um vinho banal encostando no aparador e sem preocupação com vôlei de praia se enternece com as sacadas do grandão do vôlei de praia sua ira seus recalques de derrota você mesmo se torna expert em vôlei de praia e será que o outro gato ainda anda solto pela Berrini ? e as despedidas são inevitáveis quando atletas afivelam ( ainda assim que se diz ?) as malas sentindo nostalgia da impessoalidade das vilas olímpicas gélidas como o gosto de vinho single olhando as paredes numa prestação de contas existencial e esqueceu de anotar zap do gato italiano dos saltos ornamentais que entabulou conversa contigo sobre o Brasil o ne ofascismo escroto ele com cara de siciliano ou seria tunisiano radicado em Nápoles fugindo dessas intermináveis primaveras árabes parecendo saído dos romances de Andre Gide ( mas quem lê Gide hoje em dia , coisa de tia ! ) …. fica pensando atleta da natação em tempos pré-Stonewall curtindo gato dos saltos ornamentais italiano sem internet sem celular sem poder flertar ( nossa vintage ) atleta do mesmo sexo nos anos pré- Gay Power que barra! sofrendo pelo contato do atleta italiano feito um autômato seduzido em ´´Teorema´´  ou Aschenbach em busca do seu Tadzio adulto : um marmanjo sem a nada estética mania de depilar o corpo: porque essa ´emasculação epidêrmica ´ entre atletas? ! os pêlos masculinos são última trincheira da lascívia pública por favor não depilem-se em nome da liberdade de fascínio de gays cults por astros do vôlei de praia ou dos saltos ornamentais : onde uma TV ligada ainda existe um lance um saque até o desfile de despedida para lembrar dum gato perdido ou dum colega de jogos com quem você não estabeleceu contato antes do fatídico vôo ao país ou solidão de origem….

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.