Brincadeira de criança: como é bom!

Ela desenha uns rabiscos na folha de sulfite o que em seu mundo solitário lhe faz acreditar ser um perfeito urso. Para seus pais, sentados à mesa de jantar, e sem dar à menina a mínima atenção, aquilo ali é apenas brincadeira de criança.
Bem longe dali, mais precisamente no estado do Maranhão, uma garotinha sobe no skate, faz as mais radicais manobras, e seus pais, atentos a tudo, sabem que não é tão-somente uma brincadeira de criança isenta de qualquer valor. Há seriedade ali, e muito mais, talento.
O que o exemplo da medalhista olímpica Rayssa Leal nos ensina é que talentos não surgem do nada, é preciso um olhar atento para extrair dali um potencial, algo que certamente os pais do exemplo acima fizeram adormecer.
A pequena desenhista do caso acima não existe, ou melhor, existe, e são as centenas ou milhares de crianças brasileiras silenciadas por pais desatentos, e também por um país que em nada valoriza seus jovens atletas, músicos, artistas… crianças que pareciam apenas brincar.
Crianças, brinquem, divirtam-se, enquanto a vocês ainda lhes for permitido, pois no Brasil real e nada divertido, há muitos pequenos a quem não é possível nem brincar.
Foto:Uol

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Curta nossa página no Facebook e acompanhe as crônicas mais recentes.

Crônicas Recentes.